Móveis de jardim

Pedras de jardim


Como escolher pedras para um jardim de rochas: custos e dimensões


Como deve ser feita a escolha das pedras do jardim? Se você mora em uma cidade com poucos espaços naturais, encontrar as pedras pode ser difícil. Se os regulamentos municipais o permitirem, é possível ir ao parque público ou mais perto e coletar pedras e seixos que acreditamos serem bons para o nosso jardim. No caso em que queremos pedras grandes, existem duas alternativas: alugar um caminhão e ir a uma pedreira ou comprar pedras em centros de jardinagem, que, no entanto, costumam oferecer custos muito altos. Como alternativa, se houver um local de demolição por perto, você pode tentar pedir pedras lá. Obviamente, antes de prosseguir com a coleta ou compra, é bom considerar a quantidade de pedras necessárias; uma solução específica, além disso, poderia ser o recurso a blocos artificiais, usados ​​especialmente para erguer pequenas paredes. Eles devem ser colocados na argamassa e colocados lado a lado, e geralmente têm um custo bastante baixo.

Coabitação de rochas e plantas



Como se pode adivinhar, portanto, a escolha de pedras para jardins de pedra requer uma avaliação cuidadosa e cuidadosa, também porque, para dar vida a um espaço ordenado e elegante, não basta reunir pedras e pedras sem um projeto ou ordem precisos. Se é verdade que, mesmo assim, as plantas poderiam crescer em um ambiente adequado para o seu desenvolvimento e sobrevivência, é igualmente verdade que o efeito estético não seria o melhor: em suma, a diferença entre um jardim terreno rochoso e pedregoso deve permanecer evidente. A construção de um jardim de rochas, portanto, se mostra bastante desafiadora: não porque requer conhecimentos especiais, mas do ponto de vista físico, pois exige a movimentação e transferência de pedras, às vezes de tamanho considerável, bem como das plantas e plantas. da terra. Para obter um resultado final harmonioso, proporcional e agradável, será bom avaliar antecipadamente a viabilidade das idéias, tanto no que diz respeito às dimensões da superfície a ser ocupada quanto no que diz respeito às possíveis despesas que deverão ser sustentadas. Além disso, deve-se notar que um jardim caracterizado por muitas pedras requer manutenção limitada, pois favorece o crescimento e o desenvolvimento de plantas rústicas, capazes de se adaptar sem problemas às condições mais difíceis e, portanto, necessitando de uma manutenção reduzida ao mínimo.

Avalie os espaços e o número de pedras



Por outro lado, é errado acreditar que um jardim de rochas requer, por necessidade, espaços bastante amplos, no sentido de que, ao renunciar a um grande número de plantas e construções monumentais, um ambiente desse tipo também pode ser criado, tendo à sua disposição alguns metros quadrados. Apenas algumas pedras são suficientes, desde que organizadas com sabedoria e um terreno capaz de satisfazer as necessidades das plantas para começar a trabalhar, levando em consideração que, a menos que as pedras compradas nos centros de jardinagem sejam usadas, os custos de construção eles são bastante limitados e a despesa mais significativa é representada pela compra das usinas.
Sobre as pedras, elas podem ser misturadas com tijolos e pedras ralados. Nesse ponto, resta apenas escolher o solo, que deve ser composto preferencialmente de pedra britada, areia de grão médio, fertilizante orgânico e solo de jardim: a mistura ideal para plantas alpinas e rochas, que pode apresentar um desenvolvimento vertical e um desenvolvimento horizontal.

Exposição ao sol: cuidado com os raios muito quentes



No que diz respeito à exposição ao sol, uma jardim com pedras precisa de posições muito ensolaradas e quentes, protegidas das rajadas de vento e viradas para cima. Solos levemente abertos também são ideais, com os galhos das árvores penetrados pelo sol filtrante, também porque impedem a secagem de algumas espécies devido ao calor excessivo dos raios. Por outro lado, um jardim completamente à sombra das árvores, além de ser muito fresco, sujeita as plantas a uma infiltração contínua em caso de chuva, obviamente prejudicial. Como mencionado, você pode tirar proveito do terreno com gradientes leves, possivelmente conectado a escadas ou terraços.

Pedras de jardim: Como gerenciar terraços e encostas


As encostas e os terraços não devem ser muito íngremes: pelo risco de pedras e pedras caírem do alto, e porque o solo corre o risco de ser lavado na presença de chuvas particularmente violentas. É a mesma razão pela qual, além disso, até a drenagem merece ser cuidadosamente observada, uma vez que, uma vez colocadas as pedras, é complicado intervir para escavar e fertilizar o solo, comparado ao que aconteceria com as bordas e canteiros de flores normais.
Na presença de declives significativos, no entanto, é possível optar pela criação de muros de pedra, não muito altos, e possivelmente pela construção de um terraço. As plantas sofrem áreas excessivamente secas, que não fornecem a umidade necessária às raízes para favorecer seu desenvolvimento; por outro lado, um nível de umidade muito alto deve ser evitado, porque causaria podridão radical que causaria sérios danos às espécies vegetais.