Flores

Flores do casamento de julho


Flores de julho para o casamento: quais são as espécies sazonais


Quais são as melhores flores de julho para um casamento? Entre as espécies sazonais, ideais para criar composições florais espetaculares e baratas, destacamos as hortênsias, orquídeas, lisantus e rosas. As gérberas também são muito difundidas e, por outras razões, são encontradas em qualquer época do ano, cuja sobriedade é indicada especialmente para decorações de igrejas e antúrios. Em vez disso, a flor puramente de verão é açafrão, caracterizada por uma forma decididamente especial, perfeita para um buquê de noiva inesquecível: é um tipo de cores diferentes, capaz de suportar o calor sem problemas. Não se esqueça, então, como flores típicas do mês de julho, os girassóis, perfeitos para um casamento em molho rústico.

Como fazer composições e decorações florais



Depois que as flores foram escolhidas para o casamento, em julho, é necessário combiná-las e criar as composições que irão decorar os diferentes locais. Antes de irmos para o trabalho, devemos primeiro pensar em quais lugares queremos embelezar: somente a igreja? Ou a igreja e o restaurante onde o almoço (ou bebidas) será realizado? Além disso, uma decoração também pode ser agradável na casa da noiva. É claro que qualquer decisão só pode ser subordinada à consideração do orçamento disponível: nesse sentido, é apropriado calcular as despesas com bastante antecedência, para evitar surpresas desagradáveis. Caso deseje salvar desse ponto de vista, ainda é possível adotar alguns truques que não comprometam o sucesso do evento. Em primeiro lugar, o uso das flores sazonais indicadas acima permitirá conter gastos, no que diz respeito à eventualidade em que se opta por flores que crescem em outros meses (bem como por flores raras ou exóticas, vindas do outro lado do mundo). ).

Use as mesmas flores para a igreja e restaurante



Uma precaução útil poderia ser reciclar as mesmas decorações para a igreja e o restaurante: será suficiente confiar a tarefa de pegar as composições e buquês a alguns amigos ou parentes no final do culto e levá-los ao local do almoço antes os convidados entram na sala de recepção: aqui, eles podem ser usados ​​para decorar cadeiras, lustres ou móveis, ou usados ​​como peças centrais simples.
É bom ter em mente, por outro lado, que os estilos de arranjos florais devem poder se encaixar harmoniosamente no local onde são colocados, evitando notas falsas em relação ao contexto: por exemplo, para uma celebração sóbria na igreja, eles serão não recomendado para flores particularmente brilhantes, que podem ser consideradas fora do lugar (será preferível, em qualquer caso, pedir conselhos ao pastor). Em geral, cada composição deve respeitar alguns parâmetros estéticos, relativos à proporção e equilíbrio: por exemplo, ao lado de uma flor grande, um grupo de flores pequenas pode ser colocado. Mesmo as cores devem ser capazes de favorecer um equilíbrio visual, por exemplo, considerando que as pétalas brancas são muito impressionantes em comparação com as flores coloridas. Qualquer pessoa que queira se casar em julho sem gastar muito em flores também pode decidir compartilhar buquês e decorações com outro casal: é possível, em essência, contar com arranjos coloridos e espetaculares pela metade do preço. Nesse sentido, é possível escolher flores frescas e flores falsas: no primeiro caso, obviamente, será apropriado que as cerimônias sejam realizadas a poucas horas de distância, ou em dias consecutivos, para evitar que muitas flores murchem, enquanto no segundo caso elas não serão é necessária contiguidade temporal. O uso de flores artificiais, por outro lado, também é vantajoso porque requer manutenção muito limitada.

Flores do casamento de julho: Não apenas flores: velas, pinhas, frutas e fitas



Se você escolhe girassóis, gérberas, rosas ou outras espécies, as flores também podem ser combinadas com outros materiais, objetos ou acessórios: por exemplo, algumas frutas, como maçãs ou laranjas, mas também velas, fitas de tule, laços de cetim, pinhas decoradas , flores de papel machê, etc. As únicas regras são aquelas que se impõem para não aproveitar a imaginação, deixando livre a criatividade e tentando combinar estética e funcionalidade. Referimo-nos, por exemplo, à possibilidade de reciclar qualquer composição de cachoeira que repouse nos bancos da igreja, mesmo no restaurante como peça central, simplesmente removendo a parte do pendente.
Um conselho final diz respeito à escolha das cores, que devem ser feitas tentando evitar tons monocromáticos e muito planos, mas ao mesmo tempo não escolhendo mais de três ou quatro cores diferentes (ou você correria o risco de dar vida a composições excessivamente confusas): melhor, em resumo, concentre-se em poucas escolhas, mas convincentes, em vez de em muitas opções diferentes, o que daria a impressão de uma mistura excessiva. Quanto ao resto, resta apenas deixar espaço para a imaginação e desabafar a criatividade de forma compatível com os recursos econômicos disponíveis.